BahiaBelmonteBrasilCabráliaCamacanEunápolisGuaratingaInternacionalItabelaItabunaItagimirimItamarajuItapebiPorto SeguroTeixeira de Freitas

Blog Clinipaz

Por: Gutemberg Stolze
02/09/2019 - 12:15:47

 

 

A realização do pré-natal representa papel fundamental na prevenção e/ou detecção precoce de patologias tanto maternas como fetais, permitindo um desenvolvimento saudável do bebê e reduzindo os riscos da gestante. Informações sobre as diferentes vivências devem ser trocadas entre as mulheres e os profissionais de saúde. Essa possibilidade de intercâmbio de experiências e conhecimentos é considerada a melhor forma de promover a compreensão do processo de gestação.

 

Aconselhamento Pre-natal

 

É a avaliação do médico obstetra, na qual são observados o desenvolvimento do feto e a saúde da mãe. Esse acompanhamento envolve o diagnóstico de eventuais enfermidades e a orientação correta à gestante.

 

São registradas informações importantes para a saúde do bebê e da gestante. Veja quais são:

 

  • Data da última menstruação (DUM);

 

  • Data provável do parto (DPP);

 

  • Número de semanas de gestação;

 

  • Frequência cardíaca do bebê;

 

  • Altura uterina;

 

  • Tipo sanguíneo e fator RH;

 

  • Peso e pressão arterial;

 

  • Presença ou não de inchaço;

 

  • Resultado de exames de rotina e outros;

 

  • Medicamentos receitados;

 

  • Vacinas aplicadas.

 

As consultas do pré-natal devem seguir uma periodicidade. Geralmente, a visita ao médico deverá ser mensal até o sétimo mês de gestação. Depois da trigésima semana, a consulta é indicada a cada quinze dias e no último mês de gravidez, recomenda-se que seja realizada semanalmente - Essa periodicidade pode variar de acordo com a saúde da paciente e com as orientações médicas.

 

Exames

 

No aconselhamento são solicitados exames primordiais para o acompanhamento da gravidez.
Os mais solicitados são:

 

  • Papanicolau;
  • Exame de sangue;

 

  • Exame de Urina;

 

  • Exame de Fezes;

 

  • Ultrassonografia (a partir da 6ª semana de gestação);

 

  • Exame obstétrico.

 

 

No exame obstétrico, é realizada palpação dos contornos fetais entre as contrações para verificar a posição do bebê. Nele também são medidas a altura uterina, a circunferência abdominal e os batimentos cardíacos da gestante e do bebê.

 

 

Por - Gutemberg Stolze / Imprensananet.com

Por: Gutemberg Stolze
13/08/2019 - 22:03:32

 

 

O eletrocardiograma (ECG) é feito com um aparelhinho ligado a eletrodos que avalia o ritmo dos batimentos cardíacos em repouso. É um exame bem simples, usado rotineiramente tanto na triagem dos prontos-socorros quanto em checkups preventivos solicitados pelo cardiologista.

 

Para que serve

 

O objetivo é ver se há alguma falha na condução elétrica pelo coração. Ou seja, se existem bloqueios ou partes do músculo que não estão se movendo como deveriam, o que pode sinalizar problemas cardíacos. O eletro é muito utilizado para flagrar arritmias e taquicardias ou bradicardias, quando o peito bate rápido ou devagar demais, respectivamente. Mas é um teste inicial. Ou seja, ele aponta possíveis suspeitas, que devem ser confirmadas com outros exames.

 

Como é feito

 

O indivíduo deita em uma maca e o médico espalha eletrodos para averiguar os impulsos elétricos de áreas diferentes do coração. A oscilação captada é conduzida ao eletrocardiógrafo, aparelho que durante cerca de cinco minutos registra a informação em gráficos impressos numa bobina de papel.

 

 

Para não comprometer a leitura, a pele deve estar limpa e livre de roupas. Já os eletrodos devem ficar bem fixados — por isso que, às vezes, a retirada deles pode doer um pouquinho.

 

Os resultados

 

O cardiologista interpreta as ondas do gráfico, identificando marcadores como cadência e frequência do coração. O ritmo considerado normal é entre 60 e 100 batimentos por minutos, mas há outros parâmetros contemplados pelo eletrocardiograma, como o tamanho e a duração das ondas em cada segmento.

 

Periodicidade

 

O exame pode ser solicitado tanto pontualmente, quando alguém dá entrada num serviço de emergência ou há suspeitas de doenças cardiacas, quanto como medida preventiva nos checkups anuais, em geral receitados por volta dos 40 anos.

 

Cuidados e contraindicações

 

Como é supersimples e nada invasivo, todos podem realizar esse exame. O eletrocardiograma também não precisa de um preparo prévio — nada de jejum ou algo do tipo.

 

 

Ascom - Clinipaz

Por - Gutemberg Stolze / Imprensananet.com

Por: Gutemberg Stolze
22/07/2019 - 18:45:08

 

A apendicite é a inflamação do apêndice, uma região do intestino grosso, resquício do processo evolutivo, que pode causar dor quando inflamado.

 

Sintomas

 

O principal sintoma da apendicite é dor abdominal, que varia de acordo com a idade da pessoa e da posição do seu apêndice ("bolsa" presa na parte final do cólon) inflamado. Geralmente, o primeiro sinal é dor na região próxima ao umbigo, que pode ser fraca no início mas vai se tornando cada vez mais aguda e grave conforme as horas passam.

 

 

À medida que aumenta a inflamação no apêndice, num processo que varia de 12 a 18 horas, a dor tende a se mover para baixo e à direita - local diretamente acima do apêndice, também chamado ponto de McBurney.

 

Outros sintomas de apendicite, que aparecem junto com a dor são:

 

  • Náusea

 

  • Vômitos

 

  • Apetite reduzido

 

  • Febre baixa

 

Se o apêndice se rompe, a dor pode desaparecer por um breve período e a pessoa se sente melhor repentinamente. No entanto, uma vez que o revestimento da cavidade abdominal fica inflamada e infectada (uma condição chamada peritonite), a dor piora e os sintomas se intensificam - principalmente quando a pessoa caminha ou tosse.

 

Sintomas posteriores incluem:

 

  • Calafrios

 

  • Constipação

 

  • Diarreia

 

  • Febre

 

  • Perda de apetite

 

  • Náusea a vômitos

 

  • Tremores.

 

Causas

 

As causas da apendicite não são sempre claras, mas algumas situações são conhecidas por levar à inflamação no apêndice. Veja:

 

Obstrução por gordura ou fezes

 

  • Infecção, como a gastrointestinal causada por vírus.

 

Em ambos os casos, uma bactéria presente naturalmente dentro do apêndice começa a se multiplicar, causando a inflamação e o inchaço do apêndice, e eventualmente com pus. Se não tratada prontamente, a apendicite pode causar o rompimento do apêndice.

 

Fatores de risco

 

Qualquer um pode desenvolver inflamação no apêndice, mas a apendicite é mais comum entre pessoas de 10 a 30 anos. Não há, contudo, comportamentos considerados de risco e que possam contribuir para a inflamação.

 

Buscando ajuda médica

 

Fique atento aos sintomas. Se eles persistirem por mais do que 12 horas, procure um especialista e explique a ele o que está sentindo e o quão forte são as dores. Aproveite e tire todas as suas dúvidas. O médico poderá lhe perguntar quais partes do seu abdômen doem e se a dor mudou de local com o passar das horas. Descreva também outros sintomas, como febre, náuseas e diarreia.

 

Na consulta médica

 

Especialistas que podem diagnosticar a apendicite são:

 

  • Clínico geral

 

  • Cirurgião abdominal.

 

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

 

  • Quando sua dor abdominal começou?

 

  • Aonde dói?

 

  • A dor mudou?

 

  • Quão grave é a sua dor?

 

  • O que torna sua dor mais grave?

 

  • O que ajuda a aliviar sua dor?

 

  • Você está com febre?

 

  • Você sente náuseas?

 

  • Quais outros sinais e sintomas você tem?

 

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Perguntas que você pode perguntar ao seu médico:

 

  • Eu tenho apendicite?

 

  • Preciso de mais testes?

 

  • O que mais eu poderia ter além da apendicite?

 

  • Preciso de uma cirurgia?

 

  • Quais são os riscos da remoção do apêndice?

 

  • Por quanto tempo eu preciso ficar no hospital após a cirurgia?

 

  • Quanto tempo será a recuperação?

 

  • Quanto tempo depois da cirurgia posso voltar ao trabalho?

 

  • Você pode dizer se o meu apêndice já estourou?

 

Diagnóstico de Apendicite

 

Em geral, os médicos podem diagnosticar a apendicite pela sua descrição dos sintomas, pelo exame físico e pelos exames de laboratório. Em alguns casos, testes adicionais podem ser necessários. Na apendicite, o nível de dor varia de acordo com o tempo, o que dificulta o diagnóstico. Além disso, apendicite não é o único capaz de causar dores abdominais, então o médico deverá realizar alguns exames para ter certeza absoluta de que se trata de um quadro de inflamação no apêndice.

 

Exames

 

O diagnóstico de apendicite pode ser feito com os seguintes exames:

 

  • Exame físico: o tipo mais preciso de exame feito pelo médico é o exame físico, em que o médico pressionará a área dolorida. Na apendicite, quando a área em questão for pressionada, a dor sempre aumenta, indicando que naquele local há inflamação. O médico também deverá observar se há rigidez dos músculos do abdômen

 

  • Exame de sangue: o especialista também poderá optar por um exame de sangue, que mostrará o número de glóbulos brancos presentes no sangue do paciente. Se estiver mais alto do que o normal, é sinal de infecção

 

  • Exame de urina: este é mais utilizado para que o médico tenha certeza de que as dores não são fruto de pedras nos rins. Na análise dos resultados, é possível determinar a causa dos sintomas por meio da observação de glóbulos vermelhos, que ficam mais visíveis em microscópios quando há um quadro de cálculo renal. Caso eles não indiquem pedra nos rins, o médico suspeita de inflamação

 

  • Raio X: O médico também poderá solicitar um raio X da região abdominal. Por meio da análise das imagens feitas no exame, que saem após poucos minutos, ele poderá fazer o diagnóstico correto.
  •  

 

Tratamento e Cuidados

 

O tratamento da apendicite é cirúrgico, ou seja, o apêndice (que é uma "bolsa" presa na parte final do cólon) inflamado é retirado durante uma cirurgia, em que a pessoa está anestesiada, no hospital. O procedimento é conhecido como apendicectomia.

 

 

O apêndice não é substituído durante a cirurgia, apenas é feita a sua remoção. A retirada do apêndice não traz nenhum risco documentado para a vida do paciente no futuro, uma vez que ele não tem nenhuma atividade conhecida no corpo humano. Se o caso estiver sem complicações, ou seja, for feito o diagnóstico com o apêndice ainda inteiro, um cirurgião normalmente o removerá logo após o problema ser constatado.

 

Cirurgias para Apendicite

 

A cirurgia pode ser realizada de duas formas, a primeira é com uma pequena incisão de cerca de cinco centímetros no lado direito do abdome, logo acima do apêndice, para a sua remoção.

 

 

A segunda é através de laparoscopia, ou seja, o cirurgião faz três pequenos orifícios no abdômen, insere uma câmera para a visualização do procedimento e remove o apêndice. Esse método é menos invasivo que o tradicional e normalmente tem um tempo de recuperação menor - Apenas o médico responsável poderá dizer qual o melhor tipo de cirurgia para cada caso e paciente.

 

 

Ascom - Clinipaz

Por - Gutemberg Stolze / Imprensananet.com

Por: Gutemberg Stolze
06/08/2018 - 13:03:45

 

 

Qual a maneira certa de escovar?

 

Para ter uma idéia do tempo necessário para uma boa escovação, use um relógio na próxima vez que escovar os dentes. Escove os dentes com movimentos suaves e curtos, com especial atenção para a margem gengival, para os dentes posteriores, difíceis de alcançar e para as áreas situadas ao redor de restaurações e coroas. Concentre-se na limpeza de cada setor da boca, da seguinte maneira:

 

  • Escove as superfícies voltadas para a bochecha dos dentes superiores e, depois, dos inferiores.
  • Escove as superfícies internas dos dentes superiores e, depois, dos inferiores.
  • Em seguida, escove as superfícies de mastigação.
  • Para ter hálito puro, escove também a língua, local onde muitas bactérias ficam alojadas.

 

                     Cómo Cepillarse                                               Cómo Cepillarse                                          Cómo Cepillarse

Segure a escova em um ângulo de 45 graus e escove com movimentos que vão da gengiva à ponta dos dentes.

Com suaves movimentos circulares, escove a face voltada para a bochecha e a face interna dos dentes, e a superfície usada para mastigar.

Com movimentos suaves, escove também a língua para remover bactérias e purificar o hálito.

 

Que tipo de escova dental devo usar?

 

A maioria dos dentistas concorda que a escova dental de cerdas macias é a melhor para a remoção da placa bacteriana e dos resíduos de alimentos. As escovas com cabeças menores também são mais adequadas, porque alcançam melhor todas regiões da boca, como, por exemplo, os dentes posteriores, mais difíceis de alcançar. Para encontrar a escova Colgate correta para você.

 

Qual a importância do creme dental na escovação?

 

É importante que você use o creme dental mais adequado para você. Atualmente existe uma grande variedade de produtos feitos especialmente para combater a cárie, gengivite, tártaro, manchas e sensibilidade. Pergunte ao seu dentista qual o tipo de creme dental mais adequado para o seu caso. Para encontrar o creme dental Colgate correto para você.

 

Quando devo trocar minha escova dental?

 

Troque sua escova de dentes a cada três meses ou quando perceber que ela começa a ficar desgastada. Além disso, é muito importante trocar de escova depois de uma gripe ou resfriado para diminuir o risco de nova infecção por meio dos germes que aderem às cerdas.

 

 

Asom - Dentista FTB

Por - Gutemberg Stolze / Imprensananet.com 

Por: Gutemberg Stolze
18/07/2018 - 20:35:20

 

 

Uma das especialidades mais completas da Odontologia, a Odontopediatria é responsável pelo atendimento dos bebês, das crianças e dos adolescentes. Tem como objetivo a prevenção, o diagnóstico e o tratamento dos problemas de saúde bucal por meio da prevenção e da educação em saúde.

 

 

A odontopediatra acompanha o crescimento, as trocas dentárias e os hábitos dos seus pacientes desde o nascimento, com o objetivo de que cheguem à idade adulta com uma boca sadia e funcional, mantendo hábitos saudáveis.

 

 

Odontopediatria e o papel do pediatra

 

O Odontopediatra está qualificado a atender crianças de todas as idades, pois estudou os métodos de controle do comportamento infantil. Assim, de acordo com cada faixa etária, personalidade e desenvolvimento neuropsicológico, um manejo clínico é feito possibilitando a cooperação da criança durante o tratamento e desenvolvendo uma atitude positiva frente ao dentista.

 

 

O atendimento de crianças e de bebês requer cuidados especiais, pois seu comportamento frente ao tratamento é imprevisível e resulta em várias reações emocionais, positivas ou negativas, podendo estas últimas se manifestarem na forma de ansiedade, medo do desconhecido, fobia ou choro.

 

 

A Odontopediatra faz com que a consulta seja agradável e simples, usando técnicas que permitem uma boa colaboração durante o atendimento, como a técnica do falar-mostrar-fazer e a do reforço positivo, além de atividades lúdicas, como músicas, uso de livros de histórias e bonecos.

 

Principais benefícios da odontopediatria

 

A criança que é acompanhada por um dentista desde sua infância  com regularidade tem menor probabilidade de desenvolver lesões de cáries e, caso haja necessidade de intervenção, o procedimento será mais tranquilo, porque ela já estará familiarizada com o ambiente, além de ter um vínculo de confiança com o profissional.

 

 

A primeira consulta com a odontopediatra deverá ser feita até o primeiro ano de vida, não sendo necessário aguardar a chegada do primeiro dente. Nessa consulta, os pais e/ou cuidadores receberão as orientações sobre o uso de chupetas e de mamadeiras, o surgimento dos primeiros dentes, como fazer a limpeza adequada da boca e como evitar a doença cárie precoce.

 

 

Após a primeira consulta, é indispensável o acompanhamento periódico mediante consultas de manutenção de saúde, nas quais serão repassadas informações de acordo com a fase que a criança estará vivendo, bem como realizados exames clínico e radiográfico, se necessários.

 

 

Com visitas regulares, no espaço de tempo determinado pelo odontopediatra baseado na necessidade de cada paciente, cria-se um vínculo de confiança entre a família, o profissional e a criança. Vínculo esse importante e essencial para o sucesso do tratamento.

 

Cuide da sua saúde bucal, visite uma de nossas unidades e faça seu orçamento gratuíto - Implante, Aparelho, Canal, Extração, Limpesa, Clareamento 

 

Dentista FTB - Av. Getúlio Vargas, Nº 240, Centro de Porto Seguro

Telefone: 99155-0538 / 3268-0687

 

Clínica Volte a Sorrir - Praça da Caixa D´Água, Nº 21, Baianão - Porto Seguro

Telefone: 98815-7422 / 98239-8101

 

Consultório Sorriso Cidadão - Av. Getúlio Vargas , Nº 181 C, Centro - Porto Seguro

Telefone: 73 99842-9090

 

 

Por – Gutemberg Stolze / Imprensananet.com

Por: Gutemberg Stolze
28/09/2013 - 15:12:17

Ingredientes

 

  • 1/2 jerimum (abóbora) em cubos
  • 1 litro(s) de água
  • 1 quilo(s) de goma de tapioca
  • 1 colher(es) de chá de sal
  • 1/2 quilo(s) de carne de sol dessalgada, cozida e desfiada
  • 1/2 quilo(s) de queijo manteiga
  • 750 mililitro (ml) (ou 3 xícaras ) de leite
  • pimenta dedo-de-moça a gosto
  • salsinha a gosto
  • 1 colher(es) de sopa de manteiga de garrafa

Modo de preparo

 

Bata no liquidificador o jerimum (abóbora) cru com água e sal. Coloque a goma de tapioca em uma bacia e adicione o jerimum batido e deixe por 8 horas na geladeira. Escorra e descarte o sumo do jerimum. Enrole a goma de tapioca em um pano limpo e seco e esprema todo o liquido.

Reserve a goma no pano por duas horas. Enquanto isso, leve ao fogo o leite e nele derreta o queijo manteiga (se não tiver, pode substituir por queijo de coalho), até ficar homogêneo. Reserve.

Coloque a tapioca na frigideira feito uma panqueca. Frite um pouco até ficar firme. Repita o processo com as outras tapiocas e reserve. Refogue a carne de sol na manteiga e reserve.

Montagem

Recheie a tapioca com a carne de sol e o creme de queijo. Se preferir, pode servir com o queijo ao lado da tapioca. Decore com as folhas de salsa e a pimenta dedo-de-moça.

 

Por Gutemberg Stolze - Imprensananet.com

Por: Gutemberg Stolze
21/09/2013 - 13:49:57

Aprenda a fazer essa deliciosa sobremesa

Não tem nada melhor do que almoçar bem e ainda comer uma sobremesa depois. Por isso, vamos dar a receita do delicioso pudim de leite condensado!

Para prepará-lo, você precisa ter os seguintes ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de leite de vaca
  • 2 ovos inteiros

Calda:

  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 1/3 de xícara (chá) de água

Para começar a fazer sua sobremesa, bata todos os ingredientes no liquidificador.

Pegue uma forma, unte-a com açúcar queimado, coloque a massa nela e leve ao banho-maria por, aproximadamente, 40 minutos.

Para finalizar, basta fazer a calda. Derreta o açúcar em uma frigideira e, quando virar caramelo, coloque a água e misture até ficar homogêneo.

Agora é só aproveitar e se deliciar com esse maravilhoso pudim de leite condensado!

Dica: Para realçar o sabor, antes de colocar a massa por cima da calda coloque côco ralado e depois do pudim pronto decore com ameixas em calda.

 

Por Gutemberg Stolze - Imprensananet.com

Por: Gutemberg Stolze
11/09/2013 - 21:12:18

Muito gostosa, mas não pode abusar!

Ingredientes:

1 pacote de Biscoito maizena

6 colheres(sopa) de Margarina sem sal light

1 xícara (chá) de Água 

1 embalagem de Gelatina em pó sem sabor

1 lata de Leite condensado desnatado light

0,5 caixinha de Creme de leite light

0,5 xícara (chá) de suco de limão

3 unidades médias de Clara de ovo

8 colheres (sopa) de Adoçante em pó

1 colher (sopa) de Raspas de casca de limão    

Modo de preparo Para a massa:

Bata o biscoito no liquidificador até obter uma farofa. Passe para uma vasilha, acrescente a margarina e misture até obter uma farofa úmida. Coloque a farofa o fundo e laterais de uma fôrma de fundo removível de 23 cm de diâmetro. Asse em forno pré aquecido durante 10 minutos. Reserve.  Para o recheio: Dissolva a gelatina na água fervente conforme instruções da embalagem. Bata no liquidificador a gelatina já dissolvida, o leite condensado, o creme de leite e o suco de limão. Coloque sobre a massa assada e fria.  Para a cobertura: Bata as claras em neve, em seguida, acrescente o adoçante. Bata na batedeira até formar um glacê firme. Utilize bico de confeiteiro para decorar a torta com essa cobertura. Coloque as raspas de limão para decorar. Coloque no forno para gratinar por cerca de 5 minutos.   Informações sobre a receita Rendimento da receita: 12 porções 

Nível de dificuldade da receita: Médio

Por Gutemberg Stolze - Imprensananet.com 

Copyright © 2014 Imprensananet - Todos os direitos reservados.
73 99913-8628 (vivo) / 98823-9662 (Oi) / 98155-2730 (Claro/WhatsApp) | contato@imprensananet.com