BahiaBelmonteBrasilCabráliaCamacanEunápolisGuaratingaInternacionalItabelaItabunaItagimirimItamarajuItapebiPorto SeguroTeixeira de Freitas
Por: Gutemberg Stolze
16/11/2018 - 00:35:29

 

 

O diretor do Banco Santander, Roberto Campos Neto, será o presidente do BC (Banco Central) no governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, permanecerá no cargo. O superministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou nesta quinta-feira 15/11 as indicações, “Vamos anunciar em instantes o Campos Neto no Banco Central e o Mansueto no Tesouro Nacional“, disse.

 

A equipe econômica também confirmou os nomes em niota

 

No caso do BC, a indicação precisa ser chancelada pelo Senado. Campos Neto passará por sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos. Confirmado, o nome é votado em plenário. Campos Neto está em férias, desde terça-feira 13/11, no entanto, estava de sobreaviso na capital federal, o economista e o próximo futuro superministro da Economia, Paulo Guedes, reuniram-se nesta semana.

 

Quem é Roberto Campos Neto

 

Roberto Campos Neto é responsável no Santander pela tesouraria para as Américas no banco. Graduou-se em economia com especialização em economia com ênfase em finanças, cursos realizados na Universidade da Califórnia, em Los Angeles. O atual diretor do Santander trabalhou no banco de investimento Bozano Simonsen, do qual Guedes foi acionista, de 1996 a 1999.

 

Roberto Campos Neto é o 9º ministro divulgado por Jair Bolsonaro.

 

Os outros 8 ministros anunciados são Paulo Guedes (Economia), Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública), general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Tereza Cristina (Agricultura), general Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Ernesto Araújo(Relações Exteriores).

 

 

O economista é neto do diplomata Roberto Campos (1917-2001), defensor do liberalismo e crítico do comunismo. Campos foi ministro do Planejamento de Castelo Branco, 1º presidente do regime militar, e presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Social) de Juscelino Kubitschek. Exerceu mandatos de deputado federal e senador.

 

 

Roberto Campos, o avô, integrou a delegação brasileira da Conferência de Bretton Woods, que criou o FMI (Fundo Monetário Internacional) e o Banco Mundial.

 

Mansueto no Tesouro Nacional

 

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, de 51 anos, será mantido no cargo no governo Bolsonaro, Mansueto chegou a ser cogitado para a Secretaria da Fazenda. O cargo corresponderia ao atual ministro da Fazenda, extinto pelo nova estrutura da Esplanada, que deixará os ministérios da Fazenda, Planejamento e Indústria sob a guarda de Guedes.

 

Mansueto é pesquisador de carreira do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e foi convidado por Henrique Meirelles, ministro da Fazenda do governo e Michel Temer, para integrar a equipe econômica.

 

Ilan não quis ficar por mais 2 anos

 

O atual presidente do BC, Ilan Goldfajn, não demonstrou interesse em ficar por mais 2 anos na cadeira. Era uma condição essencial para que fosse reconduzido por Bolsonaro. Uma das propostas do novo governo são mandatos de 2 anos para os diretores da autarquia. O objetivo é controlar a inflação, mas alinhado ao “Ministério da Economia”, que será comandado por Paulo Guedes.

 

 

Goldfajn disse nesta quinta-feira, por meio de nota, que Campos Neto é 1 “profissional experiente e reconhecido, com ampla visão sobre o sistema financeiro e a economia nacional e internacional". O chefe do BC também manifesta apoio “ao projeto de autonomia do BC de autoria da Câmara dos Deputados e continuará trabalhando junto com os parlamentares para aprovar o texto ainda em 2018“.

 

 

Fonte: Msn

Por - Gutemberg Stolze / Imprensananet.com

Deixe seu comentário:

Copyright © 2014 Imprensananet - Todos os direitos reservados.
73 99913-8628 (vivo) / 98823-9662 (Oi) / 98155-2730 (Claro/WhatsApp) | contato@imprensananet.com